Artigos

imprimir

O Estilo do Facilitador

O FACILITADOR ama a organização para a qual ele trabalha. Isso quer dizer que ele se preocupa com o futuro da companhia, já decidiu que vale a pena transformar possibilidades para servir a comunidade maior. Se ele tem dúvidas ele as deixa fora da sala de reunião, faz o mesmo com suas neuroses, e sobre o que ele gosta e não gosta. Ele evita o cinismo e o desdém dentro de si mesmo e os afasta quando está falando com os participantes. Ele guarda suas opiniões pessoais e usa qualquer método para receber os "insights" objetivos dos participantes.

O FACILITADOR é um guia e não um participante. As perguntas dele são elaboradas para conseguir toda a criatividade e sabedoria do grupo. Ele entende que cada contribuição contém um "Insight" e, também, que a tarefa dele e a do grupo é esclarecer que este insight é para ajudar o grupo inteiro. Ele não dá respostas mas faz muitas perguntas para solicitar a sabedoria, torná-la clara, trabalhá-la com outros -"insights" e fortalece o grupo para criar um consenso aceitável e, ao mesmo tempo, tendo o comprometimento do grupo. Às vezes ele faz perguntas ingênuas para descobrir as raízes das idéias discordantes, por meio disso mostrando os valores diferentes e dando uma base para entendimento e resolução. Ele acha que cada participante tem uma
perspectiva importante para contribuir e, naturalmente, motiva as pessoas tímidas para participar, e as pessoas mais falantes para ouvir bem. Ele promove claridade para capacitar os participantes a contribuir com suas idéias em frases curtas e sucintas que dão imagens claras.

O FACILITADOR se prepara extensivamente. Então ele estabelece um novo contexto claro para a tarefa, pedindo dados dos participantes sobre suas expectativas em relação aos resultados desejados para a interação do grupo. Ele tem claramente em mente o objetivo dessa interação, o tempo necessário para pensar, interpretar e discutir o impacto necessário nos participantes. Dentre muitas interações, um objetivo experiencial é para o grupo concluir que já tem poder e autoridade para suas decisões. Ele se familiariza com a historia da organização, o ambiente corrente de operação externa e a atmosfera Interna
de trabalho.

O FACILITADOR se preocupa com o processo e com os resultados. Ele mantém a interação mudando a favor de uma decisão. Quando não tem um consenso na arena crítica, ele facilita uma decisão sobre o processo necessário para produzir o consenso. Consenso entre o grupo será o fator guia não considerado certo ou errado. Ele acha que a realidade vai se revelar no tempo natural quando o grupo continua seu trabalho. Ele acredita que nem todos os assuntos devem ser esclarecidos no momento que são levantados.

O FACILITADOR é um ser humano refletivo. Regularmente ele cria tempo para o grupo refletir sobre o significado do trabalho dele (do grupo). Ele mostra e obtém humor que libera tensões e dá alívio descontínuo do trabalho intensivo. Ele facilita pulos intuitivos que utilizam as capacidades do cérebro direito e catalisa criatividade corporativa, uma alta força motivadora que produz comprometimento. Ele exige conclusões claras sobre decisões feitas e garante documentações objetivas do trabalho do grupo para cada participante. Então ele prepara o caminho para implementação.

Isso é um resumo do "estilo de facilitação" desenvolvido pelo IAC durante muitos anos de trabalho junto às organizações em todo mundo, que têm de dez até cinquenta mil empregados, de trabalhadores nas fábricas até executivos mais altos nas grandes empresas. Tem sido e é nosso grande prazer treinar milhares de homens e mulheres para serem facilitadores.


IAC- INSTITUTO DE ASSUNTOS CULTURAIS
I Ile Institute of "TECNOLOGIA PARTICIPATIVA" of Phoenix 1985 1991I 1997

fonte: http://www.gabiate.com.br

Voltar